ieira


Inicial         |         Institucional         |         Equipe         |         Agendamento       |         Fale Conosco         |         Notícias


Campinas,  de 2017

 

CIS-Guanabara realiza feira de arte,

moda e cultura afro-brasileira

 

Palestra e lançamento de livro integram a programação que tem entrada franca

         

Racismo, genocídio da população negra, formas de resistência, superação do preconceito e manifestações de cultura e arte afras são temas que permeiam a Feira de Arte, Moda e Cultura Afro-brasileira que será realizada no próximo dia 16, das 16h00 às 22h00, no CIS-Guanabara. O evento é aberto ao público em geral e tem entrada franca.

A feira, no entanto, não será apenas um espaço para apresentações culturais, culinária e comercialização de produtos afros. “Nossa intenção, na verdade, é compor a programação com elementos que possibilitem uma reflexão sobre a situação do negro no Brasil”, afirma a idealizadora e organizadora da feira, Irani Ribeiro. Nesse sentido, está programada a palestra “Diálogos para uma Literatura Negra” que será ministrada pela escritora Cidinha da Silva que estará lançando o livro Parem De Nos Matar. A palestra será seguida de debate que contará com a moderadora Anselma Sales, formada em Letras pela Unicamp e doutoranda na mesma área do conhecimento na USP.

A historiadora Cidinha da Silva, autora do livro Parem de Nos Matar

Parem De Nos Matar é o décimo livro da historiadora mineira, formada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Cidinha da Silva. O livro aborda o genocídio da juventude negra por meio de crônicas produzidas entre 2012 e 2016. Em entrevista ao Blog Correio Nagô, ela fala sobre a experiência dessa publicação: “não é um livro que se tenha alegria ao fazer, é o contrário disso, pois fala da morte imposta à população negra no Brasil, na diáspora e em África, tanto pelo extermínio físico, quanto pela morte cultural e simbólica”. Ela ressalta que a obra, ao longo de 72 crônicas distribuídas em 240 páginas, trata também da resistência da comunidade negra. “É uma leitura densa que exige estômago e coragem. É um livro que exige mais do que o desgastado uso do termo ‘denúncia’ para caracterizá-lo. A obra é testemunha de acusação do genocídio contemporâneo da população negra. É memória viva em transformação que se vale da crônica como suporte”, afirma a autora.

Capa do livro que será lançado dia 16 de dezembro no CIS-Guanabara

 

Anselma Sales, professora formada pela Unicamp, será a moderadora do debate

 

Serviço

Data: 16 de dezembro

Horário: 16h00 às 22h00

Local: CIS-Guanabara

Endereço: R. Mário Siqueira, 829 - Botafogo, Campinas (estacionamento gratuito no local)

Entrada gratuita

Melhor visualizado com resolução 1280X1024

© 2017 - Cis Guanabara / Preac / Unicamp